A Assessoria Estratégica de Evidências (AEVI) foi criada em julho de 2018 com a missão de promover o uso apropriado das evidências e fomentar a cultura de inovação para melhorar a qualidade das políticas educacionais brasileiras.

No Brasil e no mundo, ganha espaço a ideia de qualificar o debate sobre políticas públicas. No caso da Educação, isso significa aperfeiçoar os programas educacionais e embasar a construção de novas políticas fomentando o uso de dados produzidos por censos e avaliações externas, como Ana e Prova Brasil por exemplo, bem como de informações gerenciais de políticas e programas do MEC. A produção e a sistematização das evidências auxiliam em todas as etapas do ciclo de políticas públicas, desde o desenho até a avaliação e inovação.

Nesse contexto, a AEVI busca tornar-se referência na disseminação e no uso adequado de evidências e inovação, institucionalizando essas práticas no ciclo das políticas educacionais brasileiras. Para qualificar o debate sobre educação, a AEVI promove as seguintes ações estratégicas:

 

Por que é necessário ter uma Assessoria de Evidências?

No mundo todo, tem crescido a discussão sobre a necessidade de se avaliar políticas públicas, com o objetivo de otimizar o uso dos recursos públicos. Um grande desafio, quando se pensa em políticas públicas, é saber o que funciona e por que funciona. O uso de evidências permite o conhecimento sobre o tamanho do impacto dos programas governamentais e auxilia o gestor a tomar a decisão sobre a alocação dos recursos com base no valor público produzido por determinado programa. No caso específico da educação, existem boas evidências sendo produzidas, mas elas nem sempre são utilizadas para o desenho ou o redesenho de políticas públicas no âmbito do MEC. Gerar uma cultura de evidências significa que, munidos da informação disponível, gestores públicos serão capazes de propor desenhos de programas mais eficazes, efetivos e eficientes.